terça-feira, 27 de outubro de 2015

Segunda parte da emoção triste!

A outra parte da emoção triste!


Olha que pena... Casamento e Falecimento... do dois!!!


Essa mulher, minha mãe, guerreira que enfrentava os desafios da vida cheia de alegria. 

Já estava viúva à 16 anos... 

Ficou todos esses anos viúva, sozinha, se dedicando ao filho problemático, com o vício do álcool e drogas, que se acidentava com frequência, e vivia internado, ela passava dias e dias no hospital fazendo companhia ao filho, ele faleceu ao completar 40 anos!

Enterrou o filho com muita fé e coragem, acreditando que ali ele terminava sua jornada aqui nessa vida para viver com Deus!

Fazer oque, com certeza teria que continuar vivendo sua vida normalmente, afinal ela fez tudo que pôde por esse filho, mas as escolhas eram dele!


Agora livre desse "fardo", entre aspas, porque ela dizia que filho não é fardo... 

ela começou a frequentar um grupo de terceira idade, onde conheceu Sr. Aurélio, viúvo, um senhor muito fino e educado, de princípios conservadores e muito amoroso.

Se apaixonaram, namoraram por alguns meses e se casaram, ela foi morar na casa dele, felizes da vida, pareciam dois adolescentes, dava pra ver o brilho no olhar dos dois.

Por dois anos foram muito felizes, passeando, dançando, reformando a casa, curtindo a vida de fato.


Mas chegou o Câncer para ela, ele amoroso como era, loucamente entristecido com a doença dela, não aceitando a idéia de que poderia ficar viúvo novamente, veio a adoecer também, um homem que nunca bebeu um gole de álcool na vida, veio a cirrose, e em dois meses Sr. Aurélio veio a falecer.

Ela muito debilitada, depois de três cirurgias no intestino, dentro de um mês, e tratamentos de quimioterapia e radioterapia, ainda assim, aguentou fortemente o velório do tão amado marido!



Mas a dor da perda do seu amado, calou na alma, aguentou firme ainda uns quatro meses, mas veio a tona a doença, que se recidivou e se espalhou rapidamente para outros órgãos causando muita dor...

Já tomando TRAMAL, o remédio para dor abaixo da morfina, não aguentou, ela completou 71 anos no sábado dia 03/05 fizemos um bolo...

... reunimos a família, cantamos os parabéns, jogamos truco, que era seu jogo favorito, ela se sentiu muito feliz, foi lindo, e dois dias depois ela veio a falecer !!!

Na Noite anterior de sua morte, eu fui muito feliz em sentir desejo de ir dormir com ela, ou melhor, passar a noite, lhe dar os remédios, mal sabia eu, que seria a ultima noite de sua vida, ou saberia?

No dia de sua morte, no café da manhã, ela me contou que tinha sonhado com Sr. Aurélio, que ele veio chamá-la pra ir embora com ele, tomou o café e voltou a se deitar, fechou os olhos para ver se continuava a sonhar com ele, e não os abriu mais!!!

Mulher de grande fé foi também viver com Deus!!
 

Adeus minha tão amada Mãezinha!!

Forte abraço amados leitores do meu blog, desculpe compartilhar também emoções tristes, mas era a proposta do blog desde o começo, colocaria aqui todo tipo de emoção!

Até a próxima amados!!




quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Emoção triste!!


Hoje a Emoção é triste!!  
Hoje muita saudade!











Como eu disse no começo do blog, que iria falar sobre todas as emoções, inclusive triste, vem ela ai...













Logo eu que sempre achei uma grande frescura e fraqueza esse tal sentimento "saudade de quem já morreu" nossa, como pode? eu pensava: ficar chorando por um sentimento que não passa, pois se é saudade de quem já morreu, não tem como resolver, essa saudade só vai aumentar,  isso vai até quando? eu não entendia!!










Eu achava também que isso era falta de maturidade, e também falta de fé em Deus!!
Pois eu pensava que quem confia mesmo em Deus, até a morte entende, e aceita que é o processo natural das coisas e das pessoas, ora ora!!












Eu já tinha perdido meu pai e meu irmão, e aceitei naturalmente, não sem dor, mas aceitei como eu mesma sempre me senti evoluída nessa questão, tanto que quando eu parava pra pensar que um dia eu perderia o papai e a mamãe, (pelo menos pela a ordem natural, pode ser que isso variasse), como foi o caso do meu irmão que morreu antes, me sentia "preparada"











Pensava que assistir com fé a morte dos entes queridos, e entregar de coração, sem lamúria ou desespero, é amar a Deus!!












Mas hoje eu chorei... e entendi... senti essa tão falada saudade de quem já morreu...
Minha mãe, nossa que dor, que dor... faz um ano e cinco meses que ela partiu!
Ela mesma dizia, que quando a gente faz tudo que pode pela pessoa que ama, a gente não tem do que chorar, até porque nem vai adiantar chorar, o tempo não volta pra nos dar outra chance, dizia também que chorar é pra quem tem remorso!











Então baseada nas palavras dela, eu vivia tranquila, achando que eu sempre fiz tudo que podia e que me era possível fazer por ela... achei que nunca iria chorar por achar que poderia ter feito mais...











Mas hoje chorei...
... Chorei pelos poucos conselhos que eu não segui, hoje eu sigo até esses, mas ela não sabe...
...ela não sabe que continua me ensinando como se estivesse ao meu lado!!
Que pena, gostaria tanto que ela soubesse!











Quando perdi meu pai doeu, quando perdi meu irmão mais novo doeu, mas minha mãe com toda fortaleza e sabedoria, complementava tudo, supria até a falta deles... preenchia todos os espaços vazios, não me deixou perceber tanta falta, parecia saber curar todas as feridas.

Mulher forte, dá pra contar no dedo de uma mão, as vezes que a vi chorar em todo a minha vida ao lado dela.
Forte e feliz, aos 68 anos até casou-se novamente!











Mas hoje com a falta dela, a saudade é tão grande, mas tão grande, que veio junto com a falta dela a saudade também do meu pai e do meu irmão!











Chorei como criança!! Me senti finalmente orfã...!! Desabei!

Ela morreu de Câncer no intestino aos 71 anos!



Me perdoa meu DEUS, mas hoje chorei!
Talvez tenha demorado pra essa saudade chegar, porque estava tentando ser forte como ela... e porque acompanhei a doença dela por um ano que durou, muito sofrimento, que no dia em que ela partiu, me senti aliviada, até parecia ser a melhor coisa que poderia acontecer!! Olha que coisa!!
A dor de vê-la sofrer era maior que a dor da morte!
Inacreditável tais sentimentos!